.

Teoria Marxista - Parte I

Partindo da teoria do valor, exposta por David Ricardo, Karl Marx, seu principal propugnador, postulou que o valor de um bem é determinado pela quantidade de trabalho socialmente necessário para sua produção. Segundo Marx, o lucro não se realiza por meio da troca de mercadorias, que se trocam geralmente por seu valor, mas sim em sua produção. Os trabalhadores não recebem o valor correspondente a seu trabalho, mas só o necessário para sua sobrevivência. Nascia assim o conceito da mais-valia, diferença entre o valor incorporado a um bem e a remuneração do trabalho que foi necessário para sua produção. Não é essa, porém, para Marx, a característica essencial do sistema capitalista, mas precisamente a apropriação privada dessa mais-valia. A partir dessas considerações, Marx elaborou sua crítica do capitalismo numa obra que transcendeu os limites da pura economia e se converteu numa reflexão geral sobre o homem, a sociedade e a história

A Teoria do Valor de Marx

Marx alterou alguns fundamentos da Economia Clássica, estabelecendo uma distinção entre valor de uso e valor de troca:

Valor de Uso: Representa a utilidade que o bem proporciona à pessoa que o possui

Valor de Troca: Este exige um valor de uso, mas não depende dele.

Tal como Ricardo, Marx acredita que o Valor de Troca depende da quantidade de trabalho despendida, contudo, a quantidade de trabalho que entre no valor de toca é a quantidade socialmente necessária (Quantidade que o Trabalhador Gasta em média na Sociedade, e que obviamente, varia de Sociedade para Sociedade).

Como facilmente pressupões, Marx defendia a teoria da exploração do trabalhador.

Marx dizia que só o trabalho dava valor às mercadorias, a tal Mais Valia, que referi no trabalho sobre Karl Marx.

Equipamentos, não davam valor, apenas transmitiam uma parte do seu valor às mercadorias, não contribuindo portanto para a formação de valor.

Pelo contrário, o Homem através do seu trabalho fazia com que as matérias primas e os equipamentos transmitissem o seu valor ao bem final, e ainda por cima criava valor acrescentado (Por exemplo, no Capital Marx falava do exemplo das fiandeiras, que pegavam no algodão e o transformavam por exemplo em camisolas, criado um valor acrescentado que só mesmo o Trabalho Humano pode dar).

Para Marx existe uma apropriação do fruto do Trabalho, que contudo não pode ser considerado um roubo pelo Capitalista, porque ao fim ao cabo, o Trabalhador está a ser pago para fazer aquele trabalho.

O Valor é formado tendo em conta o seu custo em termos de trabalho, desse valor o Capitalista apropria-se da Mais Valia através da utilização do seu Capital.

Toda esta teoria da repartição do Rendimento, leva-nos para um conceito fundamental em Marx que é precisamente o da Mais Valia .

Mais Valia

Portanto Marx afirmava que a força de trabalho era transformada em mercadoria, o valor de força de trabalho corresponde ao Socialmente necessário.

Tudo estaria bem, contudo o valor deste Socialmente Necessário é um problema.

Na realidade o que o trabalhador recebe é o salário de Subsistência, que é o mínimo que assegura a manutenção e reprodução do trabalho.

Mas apesar de receber um salário, o trabalhador acaba por criar um valor acrescentado durante o processo de produção, ou seja, fornece mais do que aquilo que custo, é esta diferença que Marx chama de Mais Valia.

A Mais Valia não pode ser considerado um roubo pois é apenas fruto da propriedade privada dos meios de produção.

Mas, os Capitalistas e os proprietários, procuram aumentar os seus rendimentos diminuindo o rendimento dos trabalhadores, é pois esta situação de exploração da Força de Trabalho pelo Capital que Marx mais critica.

Marx critica a essência do Capitalismo, que reside precisamente na exploração da força de trabalho pelo Produtor Capitalista, e que segundo Marx, um dia haverá de levar à revolução social.

Continuar >>>

Veja também:
Karl Marx - Parte I
• As Contradições do Sistema Capitalista
• Produção do Valor de Uso e da Mais Valia
• A Lei Geral da Acumulação Capitalista
• Síntese de "O Capital"

Tópicos relacionados:
História do Pensamento Econômico
Mercantilismo
Fisiocracia
Utilitarismo
Economia Clássica
Teoria Marxista
Teoria Keynesiana

 

... Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Valor de Uso Valor de Troca Mais Valia economia capitalista materialismo histórico Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx Karl Marx